06/01/2011

Noite


Num ultimo instante, pela noite, não existe tempo nem direcção. Existe a vontade de destabilizar os antagonismos intemporais, uma espécie de celebração do desejo. Na mochila levo as palavras que se juntam à musica.

Sem comentários: